sábado, 24 de julho de 2010

O OLHAR DOS ANIMAIS







Vão pensar que eu só sei falar e pensar em animais. Estarão 50% corretos. Não posso impedir meus pensamentos.


Acontece que eu ia passando pelo Rio das Pedras, lugar bem pobre, mas que corta caminho para a Barra da Tijuca, no caso de ir-se pegar o tunel para a zona sul.


Meu marido dirigia e eu então apenas olhava para fora. Foi quando vi um cão preto mais ou menos do tamanho de um labrador. Era um SRD, pelo liso e orelhas abaixadas. Ele andava bem juntinho do muro com a cabeça arriada olhando para o chão. Não vi seus olhos. Todo o seu aspecto era de tristeza, de abandono. Me veio na mente um ser humano sozinho, abandonado triste por não ter ninguém. Isso existe muito , sabemos disso.


Não esqueci a cena, porque estava tão clara a tristeza daquee cão que se eu tivesse um quintal grande, certamete ele agora estaria de cabeça e orelhas em pé, num lar de quem o trataria com amor. Mas, infelizmente nao tenho nem quintal grande, nem saúde para fazer isso. Fico triste de pensar que algum dia ele pertenceu a alguém que o jogou fora feito lixo.Apesar de estar na rua, ele era bonito.


Costumo olhar bem nos olhos dos animais. Podemos ver a diferença entre um bicho que é bem tratado e amado do olhar de um abandonado ou até maltratado.


Eles não sabem falar, mas falam muito bem com os olhos. Não precisa muito esforço para se entender o que desejam dizer com os olhinhhos.
Tenho muita pena das pessoas que vivem na beira da miséria. Mas tenho também muita tristeza de ver um animal que não faz mal a ninguem nem em atos , nem em pensamentos como os seres humanos. Assim continuo na minha idéia, posso até estar errada, não sou dona da verdade, de que crianças e animais jamais deveriam sofrer absolutamente, nem ter doenças. Simplesmente não deveriam sofrer. Só posso dizer que a imagem daquele cão preto andando cabisbaixo pelo cantinho do muro, não me saiu da mente, e penso que deve ser muito triste, pois os animais tambem têm tristezas, não ter para onde ir, uma casa para voltar. Enfim, não tenho mais 20 anos, senão eu daria um jeito de colocá-lo na garagem de casa e em cima da garagem também. As coisas ficaram dificeis para mim e antes de fazer algo, tenho que pensar se poderei ir até o final. Espero que aquele cão tenha encontrado alguém bondoso que lhe ampare. Enfim....não se pode consertar o mundo e nem abraçar todas as causas que gostaríamos. Só resta pensar positivo para também não sofrer por não poder fazer nada. Pobres animais!!!

                                                              NAJA