domingo, 22 de dezembro de 2013

  É   PROIBIDO

É proibido fingir um sentir que
No peito dói e clama por teu amor
É proibido fingir que esqueceu
Se ainda sente toda aquela dor
A dor da perda, da solidão
Que ficou quando te disse adeus.
Proibo meu coração de continuar a sofrer
Proibo minha mente de em sonhos
Rever teu sorriso gentil
E tua voz a dizer meu nome
De um jeito todo teu..
Proibo minhas sensações
De ainda sentirem teus braços,
Teu modo de enlaçar-me junto a ti.
Proibo tudo que me faz te recordar
Mas meu coração e minha mente
Recusam-se a obedecer e assim,
Penso todo o tempo nos nossos momentos,
Tão distantes...mas que intensamente vivemos.
                                                               NAJA