quinta-feira, 24 de março de 2011

MUDANÇAS

MUDANÇAS




Dizem, não sei se é verdade, que de sete em sete anos as pessoas sofrem uma mudança, seja ela de que modo for. Parece que é o que está acontecendo comigo.Sempre fui de uma timidez absurda, enfiada os cantinhos, não dava uma palavra, falava apenas o necessário. Fui crescendo assim e era considerada um a pessoa antipátiica. Só depois de muito tempo lidando com os outros é que as opiniões mudavam, porque entendiam que era meu modo de ser, não tinha nada de antipática, ou arrogância. Era mesmo uma timidez exagerada.Com o tempo , após bastante tempo, notei que já não sentia receio de falar com as pessoas, e que quando percebia que tentavam me magoar, eu colocava uma muralha entre eu e a pessoa e não permitia que me atingisse. Percebi isso, pois era uma reação espontânea , há pouco tempo.


Tenho feito isso com muitas pessoas, se percebo que querem me aborrecer, nem ligo mais, coloco a muralha na frente e as grosserias batem e voltam. Algumas vezes, quando a coisa é demais da conta, eu que apenas ficava maogada e chorava, agora , rebato as ofensas com muita classe, pois é isso que arrasa pessoas ruins e continuo minha vida, do jeito que acho deve ser. Nem muitos sorrisos, nem muito séria. NORMAL. Todo mundo tem um dia em que quer falar pouco, ficar um tempo sozinha relaxar, isso é mais que normal. Prometi a mim mesma que não aceitaria jamais ofensas, críticas maldosas, sejam bem vindas as que me ajudam a crescer, e afasto e respondo a quem me quer ver para baixo. Há situações que me fazem sofrer, mas por motivos e por pessoas que amo, que gosto, que sinto profunda amizade e que , de repente se vão. Custo muito tempo, muito mesmo a aceitar, mas e uma situação diferente.


Hoje em dia, choro por motivos muito serios, que me entristecem bastante, e dou muitas risadas se estou com amigos, com pessoas que me sinto a vontade. Com algumas pessoas falo se perguntam algo e respondo o estritamente necessáriio, sem muitas delongas, às vezes , se acho que nao devo responder, mudo de assunto sem responder nada. Nada em mim é forçado ou premetitado. Isso, essa mudança, foi acontecendo através de minhas conversas com minha psicóloga que esta´fazendo um excelente trabalho comigo. Ela espera que um dia eu deixe sair aquela Naja que fazia gracejos, que ria até das bobagens minhas e fazia brincadeiras com as pessoas, tornando tudo descontraído. Foi pouco tempo que agia assim, a vida e o convívio com pessoas estranhas me fizeram bem fechada e pouco me importava o que pensavam de mim e ainda nao me importo. Sou como sou e se tiver novas mudanças, será resultado de minha psicanálise, nao pensado para agradar esse ou aquele. Isso nunca. Minha mãe dizia que a melhor escola é a vida. Que pódíamos aprender muitos conhecimentos na escola, na Faculdade, mas quem ensinaria a viver, seria mesmo a vida e para isso, vez por outra sofreríamos grandes decepções, pois não devemos esperar que nossa alegria ou felicidade venha através de outra pessoa, nós é que temos que encontrá-la em nós mesmas, fazendo o que gostamos, sem passar por cima de ninguém para conseguir algo, pois não seríamos felizes. Sinto muita falta de minha mãe, era uma mulher sábia e de muita coragem. Eis uma que nunca vou aceitar tê-la perdido, nem ela nem algumas outras que me fazem muita faltaMUDANÇAS