quarta-feira, 9 de março de 2011

Oriah Mountain Dreamer

"(...) Não me interessa saber que planetas estão em quadratura com sua lua.



O que eu quero saber é se você já foi até o fundo de sua própria tristeza, se as traições da vida o enriqueceram ou se você se retraiu e se fechou, com medo de mais dor. Quero saber se você consegue conviver com a dor, a minha ou a sua, sem tentar escondê-la, disfarçá-la ou remediá-la.


Quero saber se você é capaz de conviver com a alegria, a minha ou a sua, de dançar com total abandono e deixar o êxtase penetrar até a ponta dos seus dedos, sem nos advertir que sejamos cuidadosos, que sejamos realistas, que nos lembremos das limitações da condição humana. (...)


Quero saber se você é capaz de enxergar a beleza no dia-a-dia, ainda que ela não seja tão bonita, e fazer dela a fonte da sua vida.


Quero saber se você consegue viver com o fracasso, o seu e o meu, e ainda assim pôr-se de pé na beira do lago e gritar para o reflexo prateado da lua cheia: 'Sim!' (...)


Não me interessa onde, o que ou com quem estudou. Quero saber o que o sustenta, no seu íntimo, quando tudo mais desmorona. (...)"






Oriah Mountain Dreamer