domingo, 23 de agosto de 2015

NUM DOMINGO DE MANHÃ

Num domingo de manhã

Sinto que a vida se esvai devagarinho, lentamente como um martírio dramático.
Olho pela janela e há um lindo sol brilhando, até quando?
Tento ser forte, corajosa, mas nao sei se serei assim por muito tempo, de repente sinto que sou frágil, sensível e triste. Não sei se vencerei essa batalha.
É árdua, difícil e sofrida. Sinto minhas mãos tremerem e meus olhos enchem-se de lágrimas.
Aos meus pés, minha amiguinha maltês olha para mim com olhar significativo, é linda essa amiguinha. Parece estar sempre atrás de uma resposta que não  sei
se posso fazê-la entender.
Eu mesma indago se vivo um pesadelo ou se é apenas um sonho mau que vou acordar e sorrir. Quem sabe...
naja