quinta-feira, 10 de junho de 2010

ESTRELAS de Vladimir Maiakovsvy


ESTRELAS

Se as estrelas se acendem
será porque alguém delas precisa?
Por que alguém as quer lá em cima
será que alguém por elas clama
por esse brilho de pérolas
Sim!
Eis me aqui em tormentos
ao raiar desse sombrio dia
no âmago da poeira desta galáxia.
Sim, eis-me
A beira do precipício
a espera de um sinal celestial
Sim, eis-me aqui
na quase certeza do fim das horas
na ânsia do beijo perdido, partido!

Imploro!
Preciso absolutamente
duma estrela lá no alto

Juro
Eu não posso mais suportar
a tortura de um céu sem estrelas!

Levanto-me entre anseios e cambaleios
na certeza insana do passo firme
e um falso sorriso ao transeunte
“Bom Dia” espaça pelo canto do lábio
dissipando-se a dor no orvalho matinal

Escutai, pois!
Se as estrelas se acendem
é porque alguém delas precisa

Na verdade, cada noite,
é indispensável que
sobre todos os tetos,
uma única estrela, pelo menos, se alumie.
VLADIMIR MAIAKOVSKY