sábado, 5 de junho de 2010

MEU CANTO DO SIL~ENCIO


MEU CANTO DO SILÊNCIO

Daqui desta varanda sonhada
Entre árvores floridas e verdes pastagens
Ouço o canto de pássaros nos galhos
E sinto o cheiro gostoso da relva molhada.

Ao cair da tarde, quando se inicia o silêncio
Os animais se recolhem em seus cantos achados
Os trabalhadores vão rumo as suas moradas
Fico aqui no deleite de meus sonhos dourados.

Quando a noite chega, silenciosa e calma
Quando as luzes se apagam para o repouso
Posso ver milhões de estrelas brilhando e piscando
Como se quisessem dizer-me, continue sonhando...

Fico aqui, ouvindo o murmúrio das águas do rio
Que mesmo ao longe entoa sua canção
Meu pensamento voa para muito longe
Sem perceber, vejo-me calma e fortalecida
De tantos sonhos sonhados, mas nenhum realizado.

Naja